7.6.10

Estatísticas criminais - Dados sobre os crimes mesmo

Finalmente, estatísticas criminais com sangue.

Os dados foram obtidos no site do SEADE-SP (até 2003) e da secretaria de segurança pública de Sao Paulo (a partir de 2004) - além do IBGE no que se refere à populaçao.

Entao, como todo mundo gosta de sangue e sensacionalismo, seguem todos os dados que juntei sobre assassinatos, roubos, estupros e crimes de todas as sortes (limitados àqueles que me interessavam...).

Só uma coisa, desconfie - e muito - de todos estes números, porque a metodologia e a forma de coleta nao sao as coisas mais claras do mundo, mas, como diria meu avô, é melhor um passáro na mao que dois voando, quem nao tem cao caça com gato e na falta de tu vai tu mesmo.

Outro alerta, nao sou estatístico, nunca fiz curso pra isso, sou autoditada no excel e nao gosto de matemática. Entao, se tiver qualquer coisa estranha ou errada, a chance que a falha seja minha é muito maior que dos números.

Pois bem, depois da ladainha (clique nas imagens para ampliar):

Crimes contra o patrimonio - SP
Crimes contra o patrimonio por 100.000 habitantes - SP

Crimes contra o costume - SP
Crimes contra a pessoa - SP
Crimes contra a pessoa por 100.000 habitantes - SP
Tipos de roubo - SP
Roubos de veículos - SP
Homicídios dolosos por 100.000 habitantes - SP
Homicídios dolosos - SP
Crimes por tipo - SP
Total de crimes - SP
Taxa de crescimento anual por categoria de crime - SP

3 comments:

Saiury disse...

nesse ultimo grafico, em 2009 todas as taxas de crime aumentaram!o.o

CARLOS BARROS disse...

Pedindo licença ao Pedro, envio, para quem interessar, link de um blog relacionado ao Direito Penal Econômico.

www.direitopenaleconomico.blogspot.com

Abraço a todos.

Fernando Mendes Nolasco disse...

Excelentes dados estatísticos!
Prova-nos que os dados divulgados pela Secretaria de Segurança Paulista não refletem a realidade.

Embora os grandes centros urbanos apareçam como palco de um maior número de crimes, em especial os crimes contra o patrimônio (roubos, furtos, latrocínios), temos acompanhado pela imprensa sua expansão para outras cidades menores, mas que conheceram um considerável desenvolvimento econômico nas últimas décadas. Neste sentido, é importante ressaltar que, embora o senso comum vincule o aumento da criminalidade ao aumento da pobreza, não se pode omitir o fato de que o empobrecimento de largas camadas da população tem sido resultado de um crescimento econômico desordenado e da distribuição desigual da riqueza.