20.10.08

Capitalizando o sofrimento

Por que o brasil inteiro acompanha o que aconteceu em Santo André?

Por que o ibope de certas emissoras aumenta tanto toda vez que acontece alguma tragédia?

Será que o sequestro que terminou da pior forma possível tem alguma função social?

Analisando friamente, alguns diriam que o crime serve para reafirmar os valores positivos da sociedade por contraste, outros que a pena ao infrator servirá para mostrar ao resto da sociedade que um fato não é aceitável.

Doutrinariamente podemos encontrar todos os argumentos possíveis, a criminologia é farta...

No entanto, quantos de vocês sabem o que está acontecendo e o que foi decidido nos casos "Isabela Nardoni", "João Hélio", "Liana Friedembach" etc. (isso só pra ficar na classe média)?

Será que a cobertura jornalesca (e não jornalística) de todos estes casos tem alguma outra função que não um grande entretenimento tal qual a novela das 8?

Será que as prevenções positiva e negativa, geral e especial, a retribuição, a ressocialização e todas as outras teorias da pena têm de ser repensadas? Será que a nossa sociedade midiática tem alguma função específica para o direito penal, ou será que o direito penal é mais uma fonte de renda?

Fantástico, Veja, Record, Faustão, Datena etc. analisam e analisarão este caso por mais algumas semanas. O que a nossa sociedade aproveitará disso? Mais x pontos no ibope?

Não defendo de forma alguma o rapaz que matou a namorada, mas o que vamos aprender com este episódio? Vamos sair fortalecidos como sociedade ou como conglomerado?

É importante separar o joio do trigo e entender o que é e o que não é uma abordagem jornalística do caso, mas até agora parece que temos entretenedores demais e jornalistas de menos.

Isto não é um manifesto pró-sequestrador (que em qualquer sociedade seria e será punido), mas um desabafo contra a capitalização do sofrimento alheio.

Não é justo com a moça que morreu, nem com a nossa sociedade.

Escrito ouvindo: Ené Alantchi Alnorem (Mulatu Astatke, Ethiopiqués Vol. 4)

4 comments:

Raquel Solitária disse...

Sem mencionar que o caso foi uma sucessão de desastres táticos. Estamos revivendo o episódio do ônibus 174.

Raquel Monteiro - Concurseiro Solitário

Leonardo Castro disse...

Disse tudo!

André Augusto disse...

concordo plenamente com vc, Parabéns !!

Juscelino Junior disse...

Bom,pra mim, depois do sequestrador, claro, os maiores culpados pela tragédia são Sônia Abrão, Britto Junior, Ana Hickmann e Cia!

A atuação dessa imprensa, querendo passar ao Brasil a imagem de um bom rapaz do sequestrador, inviabilizou uma ação mais incisiva da polícia!

Pensem, se a polícia invade o cativeiro e mata o sequestrador, salvando as garotas. Ia pipocar de reporter pedindo a cabeça dos policiais: Que absurdo mataram um trabalhador!

As vezes esqueciam que a vítima eram as meninas e não o sequestrador!

Por essas e outras que não assisto mais TV, alguns raríssimos programas ainda valem a pena!