26.11.14

O custo do empregado para a empresa



Todo empreendedor que se preze tem que colocar na planilha de custos do seu plano de negócio os gastos que ele terá com empregados.
Se desde o começo você não sabe exatamente o quanto vai gastar com cada empregado que contratar, não adianta dizer depois que o Brasil tem uma carga de impostos muito alta. Você tem que saber desde o começo qual o campo que está jogando e quem é o time adversário, não adianta reclamar quando a bola já tá rolando.
empregado
Eu não sabia que tinha que pagar Imposto de Renda!
E como tudo que envolve burocracia estatal, calcular os custos que um empregado tem para a sua empresa além do salário é mais difícil do que parece. Por isso, vou apenas dar a base geral, assim você pode ter uma ideia do quanto será gasto com futuros empregados (ou com aquele empregado não registrado trabalhando aí do seu lado), mas aviso, para casos específicos consulte um advogado.
Como tudo na vida, fica mais fácil demonstrar isto aqui com caso prático. Então vamos considerar que a sua startup de monitoramento eletrônico de gatos vá contratar um empregado e deseja pagar R$ 1.000,00 reais líquidos por mês para ele. O quanto esse empregado vai custar de verdade para vocês?*
*Ao final do post tem um resumo para deixar tudo mais claro.
Bom, quais custos são garantidos que você terá? (ou se não quiser pagar agora vai ter que pagar na justiça do trabalho, a opção é sempre sua)
  • INSS (Instituto Nacional do Seguro Social)
  • FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço)
  • 13° salário
  • Vale transporte
  • Vale Refeição
Quais os custos que dependem da categoria?
  • Adicional noturno
  • Adicional de periculosidade
  • Adicional de insalubridade
Viu? É pouca coisa.
empregado
hmmmmmmm, prossiga…

1. INSS

Na regra geral, deve ser recolhido 20% do valor do salário de INSS. Agora segue a dica mais importante da sua vida:
CASO VOCÊ DESCONTE O VALOR DE INSS DO SEU EMPREGADO, REPASSE ESSE VALOR PARA O GOVERNO. Apropriação indébita previdenciária é um crime sério, fácil de provar que foi cometido, cuja defesa é dificílima e que o Governo não deixa passar em branco. Deixe de pagar a escola dos seus filhos, mas não mexa no valor de INSS que você descontou dos seus funcionários. Nenhum juiz no Brasil aceita o argumento de dificuldades financeiras da empresa ou do empresário, pois esse dinheiro não é seu ou da sua empresa, é do empregado. A pena é de 2 a 5 anos de reclusão, além de multa.
Custo do empregado: R$ 1.000,00 + R$ 200,00

2. FGTS

Voltando ao que interessa, o FGTS tem o valor fixo de 8% do salário do empregado e, em caso de demissão, a empresa ainda tem que pagar mais 50% do valor que já foi depositado em nome do empregado (se tinha 10 reais na conta do empregado, a empresa tem que pagar mais 5 reais no momento da demissão).
Custo do empregado: R$ 1.000,00 + R$ 200,00 + R$ 80

3. 13° Salário

13° é fácil, todo mês deve ser acrescido o valor de 1/12 (um doze avos, para os íntimos) sobre o salário do empregado.
Custo do empregado: R$ 1.000,00 + R$ 200,00 + R$ 80 + R$ 83,33

4. Vale Transporte

O vale transporte deve ser calculado da seguinte maneira: Deve ser obtido o valor gasto com transporte público entre a residência do empregado e o local de trabalho. Desconta-se 6% do salário do empregado para pagar esse custo. Se o desconto no salário não pagar o custo com o transporte, você, empregador, deve pagar a diferença. Para o nosso exemplo, vamos considerar que ele pega uma condução na ida e outra na volta (gasto de R$ 120 por mês com transporte – 60 paga o empregado e 60 paga você).
Custo do empregado: R$ 1.000,00 + R$ 200,00 + R$ 80 + R$ 83,33 + R$ 60,00

5. Vale alimentação

Chutando baixo, você vai pagar R$ 12,00 de vale alimentação. Então vezes 22 dias úteis dá R$ 264,00.
Custo do empregado: R$ 1.000,00 + R$ 200,00 + R$ 80 + R$ 83,33 + R$ 60,00 + R$ 264,00

6. Adicional noturno

Trabalho noturno é aquele realizado entre as 22h e as 5h. A forma de cálculo e as implicações são várias, então vamos só fingir que nosso empregado não cuida de gatos durante a noite.
Custo do empregado: R$ 1.000,00 + R$ 200,00 + R$ 80 + R$ 83,33 + R$ 60,00 + R$ 264,00

7. Adicional de periculosidade

Adicional de periculosidade, para a CLT, é devido para todo aquele trabalhador que está num emprego que é perigoso de verdade. Bombeiros, policiais, vigilantes, mineiros e dançarinas de funk, todos tem adicional de periculosidade que é sempre um acréscimo de 30% sobre o salário do empregado. Como nosso empregado cuida de gatos e não dos thundercats, não há adicional de insalubridade.
Custo do empregado: R$ 1.000,00 + R$ 200,00 + R$ 80 + R$ 120,00 + R$ 60,00 + R$ 264,00

8. Adicional de insalubridade

De acordo com o governo, todo ambiente de trabalho hostil é insalubre – todo emprego em que o trabalhador tenha que lidar com muito barulho, poeira, elementos químicos ou agentes biológicos. Nesses casos, deve ser acrescido o valor de 20% do salário mínimo nacional (não é do salário do empregado). Assim, como nosso empregado tem que lidar com gatos, que, além de não terem alma, transmitem toxoplasmose, vamos ter que dar um adicional para ele.
Custo do empregado: R$ 1.000,00 + R$ 200,00 + R$ 80 + R$ 83,33 + R$ 60,00 + R$ 264,00 + R$ 144,80

9. Resumo da obra

Assim, o salário que você queria pagar de R$ 1.000 virou R$ 1.832,13.
Ou seja, apenas como um indicativo do quanto você vai gastar com um empregado, pegue o salário que você quer pagar para ele e multiplique por 1,8 (um vírgula oito) o resultado é o quanto esse trabalhador custará de verdade para sua empresa. Esse cálculo aproximado te dará uma tranquilidade na hora de contratar e garante que você não vai criar um rombo no seu caixa.
Você paga 10 pra mim e 8 pra minha sombra
Você paga 10 pra mim e 8 pra minha sombra

1 comments:

Ernesto Alcantara disse...

Parabéns pela iniciativa e Obrigado pelas informações!

Alcantara Advogados
http://advogadofortalezace.com.br